quinta-feira, março 13, 2014

São Caetano Resistência é neste domingo (16)

Gringo


No dia 16 de março de 2014domingo, acontece mais uma edição do São Caetano Resistência, a partir das 16h, na quadra de esportes de São Caetano, com entrada gratuita. Um pouco diferente das outras edições, o São Caetano Resistencia deste março realizará um Tributo ao guerreiro Alessandro Carvalho, conhecido por todos como DJ Peu, em memória. O evento está repleto de elementos do hip hop-rap, grafitti, poesia, dança, entre outros, para os moradores e público em geral.

A programação do tributo contará com as apresentações de Baga Mc, os grupos rap Saca SóFúria ConscienteCBFKaizen Rap e Okaris. O evento ainda terá um pocket show dos artístas Filó (SCP)HaggarTática VerbalApologic Mc’s e Galf. E no comando das discotecagens, uma ilustre equipe de DJ’s fará o agito da galera. São eles DJ JarrãoDj KikoDj GugDJ Branco e Dj Kbça.

Além de todas as atrações musicais, o evento oferecerá também poesia com poetisaTaíssa Cazumbá, o poeta e educador Giovane Sobrevivente, o poeta Pareta Calderasch, o grupo de poesia e teatro A Pombagem e o poeta Patric Adler, bem como break dance e pintura de graffite ao vivo.


O São Caetano Resistência



No ano de 2010, pairou no ar da cidade do Salvador, mais especificamente no bairro de São Caetano, uma atmosfera vanguardista e de tendência pró-arte, onde as mais variadas linguagens estéticas se viram estimuladas por uma luz que busca harmonia entre nossos irmãos, irmãs e, sobretudo, rebusca a expressão dos subúrbios em sua mais visceral manifestação. Essa luz é o Rap. Do ritmo, da arte e da poesia nasceu uma humanidade que, fugindo aos códigos formais da sociedade preconceituosa, descreve a linguagem acessível e peculiar às comunidades periféricas.

É genético o espírito da rima – assim como o espírito da graffitagem – na localidade da Quadra do São Caetano, pois há muito tempo se vê boas rodas de freestile, autênticos riscos e rabiscos nas paredes. O SCR é produto do DNA artístico do São Caetano e de bairros adjacentes, tais como Fazenda Grande do Retiro, Boa Vista do São Caetano, Alto do Peru, Capelinha e outras regiões próximas.

O São Caetano Resistência é resultado de muita força, coragem e fraternidade; é um coletivo no qual a cultura hip-hop anuncia a necessidade de mudança do quadro social de nossa terra. Respeito, amor, justiça e luta são signos que compõem a consciência do movimento, e, para além da consciência, essas palavras impulsionam um trabalho cabal de natureza socio-cultural. É comum se ver um programa versátil nos eventos promovidos pela família SCR: apresentação de vários grupos de rap, crítica social, recital de poesia, intervenção de outros estilos musicais e abertura para demais linguagens.

O Tributo a Alessandro Carvalho (DJ Peu)

O intuito do tributo é homenagear Alessandro Carvalho, mais conhecido como DJ Peu, falecido em novembro de 2013, em um acidente de trânsito. Ele foi um dos realizadores dos eventos promovidos pelo coletivo São Caeteno Resistência, participando ativamente de várias edições do projeto animando o público com seu carisma e sua descontraída discotecagem, junto com os MC’s Baga, Bruno Suspeito e Gringo. Parceria forte nos eventos, DJ Peu também era militante do movimento hip hop e improvisava junto com os MC’s do bairro do São Caetano nas rodas de freestiles.

Como forma de gratidão e demonstração de saudades para com este guerreiro, o coletivo, artistas do São Caetano e convidados, organizaram um grande tributo regado a muita arte.

CONTATO: Bruno Suspeito - Tel. (71) 86396829


Serviço:
O que: Evento São Caetano Resistência – Tributo ao Guerreiro Alessandro Carvalho (DJ Peu)
Quando: 16 de março de 2014, domingo, a partir das 16h
Onde: Quadra de São Caetano

Quanto: Gratuito

sábado, novembro 09, 2013

Ritmica

Às vezes sou Gilberto Gil pela manhã, Compay Segundo à tarde, Beatles no por do sol e Bob Dylan e Ray Charles à noite.

quarta-feira, outubro 16, 2013

Eles


Parecem querer descobrir o que ainda não foi descoberto. Buscam por uma música, uma pintura ou palavras que ainda não criaram. Querem ver, pegar, provar a beleza que ainda não apareceu. Às vezes passam horas e horas à espera do novo, o mais bonito e completo de tudo que há no universo... Seja lá o que for.São seres da natureza, cada um com um pedaço de mar, de árvore, de rio, de cachoeira... dentro de si. São, ao mesmo tempo, crianças, adolescentes e velhos senhores, porque valorizam a sabedoria de cada tempo de vida. Eles não têm pressa. Eles têm fome.

terça-feira, outubro 02, 2012

Anotações



Diversidade cultural é o que fazemos com nossas diferenças.

Chega de reduzir diversidade cultural a um mosaico de nossas diferenças.

Ninguém nasce diverso, é um aprendizado político.

Conhecimento x Acesso a informação.

Sociedade da informação, sempre transforma a informação em mercadoria.

A realidade não é a mesma dos slogans utilizados para vender a Bahia como diversa, plural e acolhedora, culturalmente falando.

Professora de teatro da rede municipal se queixa que está perdendo alunos para a religião evangélica.

Benévolas x Benefícios

Holywood nasceu da pirataria.

A pirataria é um gesto de crime, mas também é uma desobediência civil, de revolução.

Cultura - Natureza: O que leva as pessoas a destruírem o meio ambiente são hábitos culturais (acúmulos de más interpretações).

O carro atualmente é o antimovimento.

Garantir a capacidade do homem de ser humano.

Direito de permanecer humano.

Além da janela do mundo tem a porta da rua.

É preciso agir em todos os frontes.

Nada é um.

O processo histórico não está definido.

As noções transitam abertamente.

O leitor lê aquilo que ele sente que sua inteligência é respeitada.

quarta-feira, setembro 05, 2012

É pra já

Tantas vontades. Tantos desejos. Tantos sonhos. A maioria possível. A minoria concretizada. Dependem de mim. Tenho vivido. Vivido tudo, novos momentos e novos momentos velhos. Desatando nós, e amarrando outros. E os sonhos continuam, cada vez mais próximos, mais fortes, mais urgentes. Gritando, impacientes.

terça-feira, abril 17, 2012

Eu preciso aprender a só ser

Sabe, gente.
É tanta coisa pra gente saber.
O que cantar, como andar, onde ir.
O que dizer, o que calar, a quem querer.

Sabe, gente.
É tanta coisa que eu fico sem jeito.
Sou eu sozinho e esse nó no peito.
Já desfeito em lágrimas que eu luto pra esconder.

Sabe, gente.
Eu sei que no fundo o problema é só da gente.
E só do coração dizer não, quando a mente.
Tenta nos levar pra casa do sofrer.

E quando escutar um samba-canção.
Assim como: "Eu preciso aprender a ser só".
Reagir e ouvir o coração responder:
"Eu preciso aprender a só ser." (Gilberto Gil)

- Eu queria ter escrito isso, Gil!

quarta-feira, março 21, 2012

Às vezes

Às vezes quero ver uma pintura, uma fotografia, que ainda não existem. Quero ouvir uma música que ainda não criaram, e que seja a mais bonita e completa de todas. Às vezes quero ver, pegar, sentir a beleza que ainda não apareceu.